É fundamental para o sucesso de qualquer projeto online que haja pessoas interessadas naquilo que você tem a dizer ou vender. O tráfego é exatamente isso: a audiência que o seu site tem. É um dos pilares fundamentais para que você tenha visibilidade e atraia novos clientes, conquiste mais fãs, mais seguidores e mais leitores. Segundo a classificação do Google, existem três formas de tráfego: direto, pago e orgânico. Esse artigo falará sobre o que é e por que você deve investir em tráfego pago, mostrará também os benefícios dele para os resultados de uma empresa, quais as principais plataformas de Gestão de Ads, as melhores práticas e, ainda, responderá a questão mais comum entre os que utilizam dessa estratégia: “por que meu anúncio não aparece no Google?”. Fique atento e não perca nenhum detalhe.

A prioridade para se obter resultado positivo em qualquer projeto na web é contar com pessoas interessadas naquele produto, serviço ou ideia que você queira comercializar. E basicamente, tráfego nada mais é do que isso mesmo: o público que acessa o seu site. Não à toa, o tráfego é um dos pilares fundamentais para que você tenha visibilidade e, se bem trabalhado, pode gerar mais clientes, seguidores e leitores. Mas, afinal, será que você sabe qual é a diferença entre o direto, orgânico e o pago?

A seguir, neste artigo, você saberá o que é tráfego pago, qual sua importância e por que você deve investir nele, além de conhecer as principais plataformas de Ads e também boas práticas de criação e gestão de anúncios. Você também conhecerá qual a diferença entre o tráfego pago e outros tipos de tráfego. Está preparado? Então vamos lá.

Qual a importância do tráfego para um site?
O que é Tráfego Pago?
Por que investir em Tráfego Pago?
Tipos de Links patrocinados
Conheça as principais plataformas de Ads
Boas práticas de gestão de Ads
Meu anúncio não aparece no Google! Por que isso acontece?
Qual a diferença entre tráfego pago e outros tipos de tráfego?

Qual a importância do tráfego para um site?

O tráfego nada mais é do a audiência do seu site ou, então, o fluxo de movimento de visitantes no mesmo. Neste sentido, o tráfego é como os torcedores dos times que disputam uma partida em um estádio de futebol, ou como os fãs do lutador de Muay Thai que vão vê-lo lutar. E neste sentido, sua importância já fica bem explícita: sem tráfego, um site, blog, canal do YouTube não teria nem razões para existir, já que suas ações e estratégias não teriam um público final.

Ao investir em tráfego pago, o seu negócio consegue conquistar maior visibilidade e, se bem trabalhado, é claro, gerar mais vendas. Aqui, na Post Digital, já tratamos inúmeras vezes sobre este assunto e abordamos a importância de direcionar seus esforços em estratégias eficientes para a conversão e captação de leads.

Ou seja, um site com bom tráfego tem maiores chances de conversão, público-alvo amplo, maior interatividade e, também, chances de vender muito mais. Os usuários, por sua vez, se tornam o tráfego do site ao encontrá-lo no Google, em uma rede social, e-mail marketing ou até mesmo colocando o endereço da empresa diretamente no navegador.

Dentro desse cenário, o tráfego pago tem algumas vantagens em relação aos outros tipos de tráfego, justamente porque para conquistar resultados expressivos e obter uma audiência qualificada, ele foca nos potenciais clientes, aqueles cujas chances de conversão são maiores. E, apesar de ser um investimento mais alto em comparação com o direto e orgânico, seus resultados são mais rápidos também.

Curioso para saber mais? Não se preocupe! No decorrer deste artigo você será apresentado aos principais tipos de tráfegos existentes.

O que é Tráfego Pago?

O Tráfego Pago é toda a audiência do seu site que é gerada através de anúncios publicitários criados em plataformas específicas para essa finalidade. Esses anúncios também são conhecidos como Links Patrocinados ou Mídia Paga.

Para ilustrar, pense no Google. Quando você faz pesquisas na internet, é muito comum que os primeiros resultados sejam algumas publicidades que estão em destaque, certo? Pois bem, eles são um dos tipos de Links Patrocinados do Google Ads, nesse caso, da Rede de Pesquisa. Dependendo do tipo de campanha que você decidir fazer na plataforma, sua publicidade também pode aparecer em vídeos, blogs, sites ou outros canais que sejam parceiros do Google Ads.

Mas não é apenas ele que te dá a possibilidade de criar e exibir anúncios, existem diversas outras plataformas, com características específicas, que podem gerar tráfego pago. Os mais comuns são o Facebook Ads, o Google Ads, o Youtube Ads e o LinkedIn Ads. Os locais de exibição desses anúncios variam de acordo com cada empresa, mas em todos é possível determinar o valor que se pretende gastar dentro de um orçamento diário ou mensal, que são pré-estabelecidos antes da campanha, no momento da configuração. É importante entender que existem diferentes tipos de lance, sendo assim, a cobrança não será feita somente por cliques, há ainda o custo por aquisição (CPA), custo por mil impressões (CPM), custo por visualização (CPV) e outros. Porém, independente da sua escolha, as plataformas jamais gastarão mais do que você determinou nas configurações.

O objetivo dos links patrocinados é atrair pessoas para ver o conteúdo ou produto que você tem disponível para venda, entrar em contato, solicitar um orçamento ou qualquer outro objetivo que você deseje com esse acesso. Dessa forma, para que o seu anúncio tenha resultado, é importante escolher a melhor estratégia para o seu objetivo, além de realizar a segmentação da maneira correta e, também, utilizar as palavras-chaves negativas.

Essas configurações fazem com que o tráfego pago consiga ser mais assertivo do que o orgânico, por exemplo, uma vez que, neste último, você tem menos controle sobre o perfil de quem irá acessar o seu conteúdo. Além disso, os links patrocinados têm um retorno de curto prazo, podendo-se ver os resultados logo nos primeiros dias, diferente do tráfego orgânico que é uma estratégia de longo prazo.

Em suma, a mídia paga é uma estratégia utilizada para gerar tráfego para sites, blogs, landing pages, redes sociais e e-commerces, podendo aumentar as suas oportunidades de venda e o reconhecimento da sua marca. Uma metodologia que visa, por meios de recursos pagos divulgar uma campanha, produtos, promoções e etc.
Trata-se basicamente de pagar para aparecer e, por isso, é fundamental entender que, para obter resultados, o investimento deve ser constante.

Por que investir em Tráfego Pago?

Agora que você aprendeu o que é Tráfego Pago, vamos ver quais os seus benefícios? Uma das vantagens desse tipo de tráfego é que você poderá configurá-lo de diferentes formas para o público que deseja alcançar e não somente selecionando palavras-chaves relacionadas, por exemplo.

Há anúncios, como o dinâmico e o de display, e também o de outras ferramentas, como linkedin e facebook ads, que podemos definir quem irá ver as campanhas por segmentações específicas, que poderão aumentar sua visibilidade e ampliar a sua taxa de conversão, Assim, você será visto de maneira ampla, gerando volume de tráfego no seu site e conquistando sua reputação online.

O interessante do Tráfego Pago é a intensidade com que ele irá se divulgar e na forma como você poderá personalizar o seu anúncio, chegando a quem realmente está interessado naquela informação, aumentando assim, a visibilidade da sua marca e, potencialmente, as oportunidades de venda.

A configuração da sua campanha paga é de fácil manuseio, até mesmo para quem não tem muita experiência com ele. Mas vale dizer que, para a campanha ter êxito em seu propósito, outros fatores entram em jogo, como a construção de uma estratégia eficiente que trabalhe pontos importantes e relevantes para que os anúncios consigam alcançar bons resultados.

A boa gestão das ferramentas de Ads requer ações estratégicas que analisem dados, informações e métricas que servirão como base para direcionar a uma melhor performance desses anúncios e ajudem a otimizar o seu investimento, evitando que você perca dinheiro.

Consegue, também, escolher para onde o seu visitante será direcionado ao clicar no seu anúncio, ou seja, qual das páginas seu potencial cliente irá acessar ao interagir com a campanha. Ao aplicar de forma certa a estratégia, você terá variedade de páginas que tem como objetivo principal o relacionamento e a conversão de leads.

E sem falar em uma das principais métricas utilizadas pelo Google Ads que é o índice de qualidade, um recurso de avaliação que leva em conta diversos fatores, como, dados históricos, relevância de um anúncio e página de destino. Quanto maior esse índice for de 1 a 10, mais chances seu anúncio tem de aparecer por um valor menor que dos seus concorrentes. Sendo assim, ter uma estratégia sólida e bem planejada faz não só você alcançar as pessoas certas, mas também gastar menos.

Dessa forma, o tráfego pago torna-se essencial para qualquer negócio que deseja acelerar seus resultados e potencializar seus ganhos. Uma vez que, por meio dessa estratégia, é possível gerar mais vendas, com geração de leads qualificados levando seus clientes até a sua página e os guiando na realização da ação desejada.

Uma das principais vantagens de se investir em tráfego pago é que os resultados, na grande maioria das vezes, são proporcionais ao seu investimento. Então você escolhe o quanto irá gastar em cada campanha. Por isso, é preciso entender as melhores ações a serem empregadas para que os anúncios e campanhas consigam ser as mais assertivas possíveis.

Analise os pontos mais relevantes para potencializar o seu negócio e aproveite não somente de campanhas pontuais de Dia das Mães, Black Friday e Natal, mas também campanhas de longo prazo, uma vez que vão sendo otimizadas ao longo do tempo e costumam performar muito melhor do que campanhas de curto prazo.

Independentemente se a empresa em questão for pequena, média ou grande é sempre indicado que em algum momento de seu planejamento estratégico de Marketing Digital seja incluído o uso do tráfego pago. Portanto, é fundamental que a indicação para usar esse método esteja de acordo com as necessidades e especificidades de cada negócio.

Dentro de um planejamento estratégico eficiente deve constar a trajetória que o cliente pode percorrer durante toda a sua jornada de compra. E, nesse caso, é importante validar os interesses e o comportamento desse potencial consumidor para que possa ser utilizado nas segmentações questões como, público, públicos semelhantes, perfil demográfico ou por interesse, o que ajuda a aumentar a taxa de conversão.

Assim, o tráfego pago é uma ótima ferramenta do Marketing Digital, já que pode gerar clientes para a sua empresa e fortalecer a sua marca e fazendo com que ela fique exposta em resultados pré-determinados por você, tornando-se, assim, relevante na memória do seu possível cliente.

Recapitulando, o tráfego pago possui diferentes benefícios em comparação a outras estratégias que possuem o mesmo objetivo de atrair mais clientes e tornar sua marca reconhecida. Uma delas é essa rapidez em seus resultados e também a facilidade de segmentação de público.

Na prática, para trabalhar com mídia paga, é necessário conhecer as principais ferramentas utilizadas para criar seus anúncios para que você entenda qual, ou quais, atendem melhor às suas necessidades e podem gerar melhores resultados para sua estratégia. Mas, é claro, você precisa saber o que está fazendo, caso contrário, poderá desperdiçar valiosos recursos e investimentos.

Desse modo, vale conhecer e entender as particularidades de cada ferramenta e saber quando melhor utilizá-las. Mais à frente abordaremos cada plataforma e suas particularidades. Siga com a leitura!

Tipos de anúncio de Links patrocinados

Vamos falar agora um pouco sobre os principais tipos de anúncio que você pode escolher para sua estratégia. É importante lembrar que ainda há diversos outros e que, dentro de cada um dos tipos citados, temos também formatos diferentes que podem ser utilizados dependendo do seu objetivo.

1. Pesquisa

São os anúncios que aparecem quando é realizada uma pesquisa por informações nos mecanismos de buscas, como o Google, por exemplo. São exibidos e aparecem em destaque logo nas primeiras posições dos resultados de pesquisa, com formato semelhante dos resultados orgânicos, porém, possuem um aviso que deixa claro que se trata de mídia paga.

 

2. Display

São anúncios em formato de banners, por exemplo, que podem aparecer também em sites parceiros do Google. O diferencial é que eles são anúncios de oportunidade, o usuário tem contato com esse tipo de anúncio quando não está procurando. Por isso, é muito importante que ele seja bem construído, segmentado e atrativo. Disponíveis em formatos de texto, banner, vídeo e Gmail.

 

3. Vídeo

Os vídeos que aparecem no Youtube são os mais estratégicos para utilizar esse recurso quando o seu desejo é promover sua marca e torná-la mais conhecida, levando mais visualizações para o seu site ou loja. Sendo possível promover seus anúncios, antes, durante e depois de um vídeo da plataforma. E ainda aparecendo fora do youtube também, em sites, por exemplo.

 

4. Redes sociais

Como já mencionamos anteriormente, os anúncios pagos podem ser feitos em diversas mídias e com diferentes formatos, uma das principais são as redes sociais. Como o Facebook Ads, Instagram Ads e LinkedIn Ads.

Cada uma dessas plataformas possuem suas próprias particularidades com recursos para a mídia paga em vídeos, stories, feed, imagens e fotos. Tudo irá depender da estratégia escolhida para realização do tráfego pago.

 

5. Remarketing

O remarketing pode ser uma estratégia bastante interessante, quando bem executada, justamente por conseguir recuperar a atenção de um potencial cliente, que em algum momento teve contato com a sua marca, levando-o a fechar negócio. É um tipo de anúncio que aparece mais de uma vez para uma audiência que já demonstrou interesse anteriormente. Podendo aparecer de diversas formas com base no comportamento do usuário, como em campanhas de mobile e vídeos.

 

Conheça as principais plataformas de Ads

Google Adwords

O Google Adwords é a plataforma mais usada para essa finalidade, de anúncios pagos, e possui inúmeros recursos para tornar seu anúncio mais segmentado possível. E ainda, oferece a possibilidade de realizar testes A/B.

Nas suas configurações é possível abranger e restringir suas campanhas para um grupo específico de pessoas, deixando seus anúncios visíveis para quem realmente tem interesse nele. Há diversos tipos de segmentação, bem como a demográfica, geográfica, por público ou interesse, por dispositivos, palavras-chave, entre outros.

Vale o investimento justamente porque diariamente milhares de pessoas utilizam a plataforma para realizar suas pesquisas e quando isso acontece, sua empresa pode estar logo nas primeiras buscas. Além disso, a rede de sites parceiros do Google conta com mais de 2 milhões de sites, onde seus banners ou vídeos podem ser mostrados.

Um dos destaques da plataforma é a entrega de relatórios com as métricas das campanhas, de maneira completa e objetiva. Facilitando a análise das ações que melhor performaram e das que não obtiveram resultados tão significativos assim, proporcionando mais assertividade nos ajustes necessários.

O uso da ferramenta, sem dúvida alguma, ajuda e muito no impulsionamento do seu negócio!

Facebook Ads e Instagram Ads

Assim como no Google Ads, o Facebook Ads possibilita a segmentação do seu público e aparece para as pessoas, dentro dessa rede social e do Instagram, no feed de notícias ou stories.

Se a sua empresa ainda não possui perfil no Facebook e somente no Instagram, é necessário criar uma conta no Facebook para empresas. A gestão dessa ferramenta é feita no Gerenciador de Anúncios, com a possibilidade de aparecer em diferentes tipos de mídia como stories, fotos, textos, vídeos, entre outros. Vinculando a conta do Instagram, as possibilidades de campanhas e anúncios são ainda maiores.

É importante levar em conta que essas redes sociais são muito populares entre os usuários brasileiros e, portanto, torna-se muito eficiente na proposta de tornar sua empresa mais conhecida, já que o público dessa rede costuma ser bastante ativo.

Há a vantagem de patrocinar um post e tornar a sua segmentação de público ainda maior, deixando aparente apenas para a sua audiência interessada. Outra oportunidade que a plataforma oferece é de público semelhante, que é quando você sobe uma lista com emails dos seus leads ou clientes e, com base nas informações deles, o programa sugere um grupo de pessoas com perfis semelhantes. O Facebook disponibiliza para você alcançar mais pessoas que possuam características similares a uma lista de usuários pré-selecionada por você.

Youtube Ads

O YouTube é, hoje, o maior site de vídeos do mundo. Se o seu planejamento estratégico inclui vídeos, o Youtube Ads é a melhor opção (ele faz parte do Google Ads) porque ele possibilita vincular um anúncio em seu próprio canal na plataforma, tanto no vídeo como sugestão também.

LinkedIn Ads

A rede acaba sendo uma boa opção para a estratégia de lançamento de anúncios pagos, principalmente quando se trata de um público B2B. Por trabalhar com a possibilidade de segmentar seu público ao máximo possível, ela consegue um maior nível de assertividade em suas campanhas.

Além de oferecer um grande potencial para acelerar sua taxa de conversão, nessa rede o público costuma ser bem diferente se comparado ao Instagram e Facebook, por exemplo, e, por isso, pode ser uma ferramenta bastante importante para determinadas estratégias.

É claro que há ainda outras plataformas como o Taboola, Outbrain, Pinterest Ads, Bing Ads,Twitter Ads. E, como cada uma dessas plataformas será usada para mídia paga, vai depender da estratégia escolhida dentro do Marketing Digital e de quais os objetivos e metas a serem conquistados. Assim, as ações serão com base nas especificidades e particularidades que cada canal pode oferecer.

A mídia paga é uma das melhores estratégias para potencializar seus resultados, se você souber escolher bem os tipos de anúncio e plataformas ideais para o seu objetivo!

Boas práticas de gestão de Ads

Depois de identificar as necessidades e o melhor plano de ação para ser aplicado ao seu negócio, é importante entender as melhores práticas a serem adotadas para que os ganhos consigam ser os mais satisfatórios possíveis. De nada adiantará um alto valor para investir se não houver uma aplicação inteligente dessas soluções. Acompanhe, agora, como melhorar a performance de suas campanhas com o tráfego pago:

1. Escolha a ferramenta mais adequada para o seu tipo de audiência

Como mencionado anteriormente, o sucesso de uma campanha está diretamente ligado à estratégia utilizada para que você não tenha prejuízo e nem perca dinheiro. É interessante conhecer cada ferramenta disponível para a mídia paga e entender qual faz mais sentido com o seu propósito.

Um ótimo exemplo disso é o uso do LinkedIn Ads. Se o seu público é voltado para o mercado B2B, essa pode ser uma boa ferramenta para os seus lançamentos de anúncios. Por ter a possibilidade de uma segmentação muito mais específica, se comparado às outras plataformas, e também pela audiência estar mais focada em questões corporativas e empresariais, você tem boas chances de alcançar o público desejado .

2. Não esqueça da segmentação do seu público

Um erro comum de quem começa a anunciar é querer aparecer para o maior número possível de pessoas. Mas, na maioria das vezes, essa não é uma boa estratégia. Isso porque você pode gastar uma grande parte da sua verba com pessoas que não tem o perfil que você procura, ou ainda não estão prontas para a compra.

O ideal é direcionar o seu investimento para perfis com maior chance de sucesso, seja segmentando através da região, faixa etária, sexo, interesse, ou qualquer outro tipo de segmentação disponível que faça sentido para o seu negócio.

Para isso, também é importante que você conheça a sua audiência e faça testes para identificar qual, ou quais, perfis estão trazendo melhor resultado com menor custo.

O Google Ads, por exemplo, oferece a possibilidade de segmentar seu público por diferentes especificações como, gênero, faixa etária, geolocalização entre outros. O que deixa sua campanha ou anúncio muito mais assertivo e focado no consumidor que você realmente quer atingir.

É possível ainda segmentar por tipos de dispositivos utilizados com acesso a internet. Sua campanha deseja atingir somente mulheres jovens que utilizam a internet pelo smartphone? Segmente dessa maneira.

3. Defina os dias, horários e locais de exibição do seus anúncios

Outra importante prática no uso das ferramentas de mídia paga é definir os horários que seu anúncio ficará ativo e também os dias da semana. Isso porque não faz muito sentido deixar sua campanha funcionando em horários que você já sabe que seu público não costuma estar ativo nas redes. Assim como é necessário definir o alcance da sua campanha para que ela não acabe atingindo um público que você não conseguirá atender.

Por exemplo, seu negócio atende todo o território nacional? Se não, é preciso definir bem essa parte para que consiga ser mais eficiente em seus anúncios.

Como dito anteriormente, nem sempre aparecer para o maior número de pessoas, ou o tempo todo, é o ideal.

Na maioria das plataformas, você estipula um valor máximo de gasto diário para suas campanhas. Porém, em dias que a audiência e os cliques são muito baixos e esse valor não é utilizado, ele não é automaticamente distribuído nos outros dias.

Assim, se os seus anúncios possuem muito poucas conversões, ou cliques, nos finais de semana, por exemplo, é muito mais interessante que você interrompa a visualização deles nos sábados e domingos e direcione essa verba para dias em que eles performam melhor.

4. Estabeleça o limite de verba utilizado

Na gestão de tráfego pago, o planejamento é fundamental para conseguir ser estratégico investindo em mídia paga, pois quando a estratégia é bem empregada isso reflete na qualidade dos seus resultados.

A questão em estabelecer uma média para investir em tráfego pago é importante porque é possível elaborar anúncios de maneira inteligente, analisando quando for mais indicado investir ou desligar uma campanha para que não haja desperdícios de recursos e nem prejuízos.

Um ponto bastante essencial a se tratar, por exemplo, é o índice de qualidade dos seus anúncios no Google, um ranqueamento de 1 a 10 para medir o quanto um anúncio ou palavra-chave podem ser relevantes para o usuário. O que influencia no custo de suas campanhas e na sua posição.

Para entender melhor como funciona o índice de qualidade, leia mais em Como o índice de qualidade influencia na posição do anúncio no Ads.

Por isso, é preciso ser estratégico na hora de escolher quanto investir.

5. Contrate uma agência especializada em anúncios

Embora utilizar o tráfego pago não seja algo de outro mundo, há diversas particularidades dessa estratégia que serão melhor aproveitadas quando feitas por um profissional.

Contratar uma agência especializada em anúncios pagos é ter a certeza de que o trabalho será feito de maneira ordenada e inteligente, visando atingir os melhores resultados para a sua empresa.

Se depois de tudo que leu, decidiu optar por investir também em tráfego pago, adoraríamos poder ajudar a montar um plano de ação para suas campanhas. Fale conosco!

Meu anúncio não aparece no Google! Por que isso acontece?

Se em algum momento já se fez essa pergunta, certamente o que iremos explicar agora vai ser muito útil para que você consiga entender de vez como o algoritmo funciona. Acompanhe!

A falta de verba suficiente para aparecer em todos os momentos, é a maior razão para que seu anúncio não esteja aparecendo para você. Simplesmente porque se o valor investido nas campanhas for bastante limitado, o Google vai escolher mostrar os anúncios para pessoas que ele considera que possuem maiores chances de conversão.

Para conseguir aparecer em mais canais e plataformas, o valor necessário para o investimento é muito alto e dificilmente as empresas costumam reservar tanto dinheiro assim para investir em marketing. E, na maioria das vezes, isso nem sequer é necessário. Lembra do que foi falado lá em cima? Nem sempre aparecer para todo mundo é a melhor estratégia. Na verdade, quase nunca é.

Outro importante fator para que sua campanha não esteja aparecendo é a definição de segmentação de público e local. Se o seu perfil não está dentro dos especificados nas segmentações ou se o horário, dia ou localização da sua pesquisa forem diferentes dos configurados na plataforma, o anúncio não aparecerá para você.

Outra possível razão é que as palavras-chave que você está utilizando não são as mesmas que estão sendo utilizadas na campanha. Isso pode acontecer porque nas otimizações é comum desligarmos palavras com baixa performance ou custo muito alto. Assim, o foco, e verba, são direcionados para palavras que têm melhor resultado.

Mas um alerta necessário é que, se você tem o costume de fazer muitas pesquisas para encontrar seus anúncios, saiba que isso pode trazer prejuízos para seus resultados e métricas. Primeiramente porque quando o seu anúncio aparece para você, ele pode deixar de ser visto por um possível interessado, já que eles não são mostrados em todas as pesquisas. Depois, porque as suas buscas também são inseridas nas estatísticas da campanha, o que afeta as análise das métricas e taxas.

E, uma vez que essas taxas são utilizadas como parte do índice de qualidade, as suas visualizações, que não geram cliques ou conversões, podem fazer com que a ferramenta entenda que o seu anúncio é menos relevante para aquelas palavras que você pesquisou, diminuindo esse índice e prejudicando a performance da campanha.

O que vale, por fim, é buscar as orientações e explicações dos profissionais responsáveis por cuidar dos seus anúncios pagos para conseguir compreender o funcionamento do tráfego pago e tirar todas as suas dúvidas, confiando que as estratégias escolhidas por quem entende do assunto são as melhores possíveis.

Qual a diferença entre tráfego pago e outros tipos de tráfego

A seguir, confira quais são os tipos de tráfego e suas diferenças em relação ao tráfego pago:

TRÁFEGO ORGÂNICO

tráfego orgânico é exatamente o contrário do tráfego pago. Também conhecido como tráfego livre, ele não é pago – mas isso não significa que não seja preciso investir no mesmo.

Vamos dar um exemplo. Imagine que o usuário digitou no Google alguma palavra-chave atrelada ao seu negócio, o que fez com que ele aparecesse entre os primeiros resultados e fosse clicado. Neste caso, o tráfego que levou ao site foi orgânico, ou seja, gratuito e livre.

Vários são os aspectos que influenciam no tráfego orgânico da empresa: as imagens utilizadas no site, títulos, textos e o próprio endereço. Não à toa, é preciso investir em boas estratégias de SEO (como palavras-chave e bom ranqueamento no Google) e de marketing de conteúdo para que a empresa realmente obtenha resultados positivos com tráfego orgânico.

A maior vantagem do tráfego orgânico é que, além de não ser pago, permite que o indivíduo lhe encontre por vontade própria – ou seja, porque quer saber mais sobre a empresa ou principalmente sobre os produtos e serviços oferecidos pela mesma.

O tráfego orgânico e o tráfego pago geralmente se complementam nas estratégias de marketing digital das empresas.

TRÁFEGO QUALIFICADO

Para compreender o que é tráfego qualificado, primeiramente vamos ao conceito de tráfego simples. O tráfego simples é aquele gerado por indivíduos em geral que acessam a loja virtual/site/blog/outro disponibilizado na internet. Já o tráfego qualificado é bem parecido: com a diferença de que as pessoas que o visitam são grandes potenciais, ou seja, indivíduos com grandes chances de se tornarem consumidores.

Neste sentido, vamos para um exemplo: imagine que você tem uma loja de suplementos alimentares. Será mais fácil chamar a atenção do público que faz musculação ou outras atividades físicas ou aqueles que ainda não começaram? O primeiro, com certeza. É quando esse público chega ao seu site que você pode chamá-lo de tráfego qualificado.

O tráfego qualificado é, então, aquele gerado por indivíduos que chegam até a sua empresa sabendo que ela pode lhe oferecer uma solução para os seus problemas (principalmente por meio da oferta de produtos e serviços). Não à toa, ele é um tráfego concentrado no público-alvo da empresa.

Presença em várias redes sociais, produção de conteúdo de qualidade, aposta em estratégias de SEO, busca por interatividade, utilização de guest posts, estratégias de remarketing e utilização de tráfego pago podem ser boas dicas para geração de tráfego qualificado.

TRÁFEGO SOCIAL

O tráfego social nada mais é do que aquele conquistado pelos usuários das redes sociais – tais como o Facebook, Instagram, YouTube, Twitter, Pinterest, Linkedin e outras. Sendo assim, toda vez que você conquista um cliente por meio das redes sociais, levando-o para o seu ambiente digital, isso significa que ele é um formador do tráfego social do seu site/blog ou loja virtual.

Você sabia que existem mais de 2,5 bilhões de usuários em todo o mundo estão ativos nas redes sociais? Pois é. Não à toa, o tráfego social pode ser uma estratégia viável e com boas oportunidades para empresas de todos os portes e segmentos do mercado.

Para aumentar o tráfego social as dicas são: utilização de imagens nos posts, criação de conteúdo voltado ao público-alvo, mensuração de resultados nas redes sociais e realização de posts com mais qualidade.

TRÁFEGO DIRETO

O tráfego direto, por sua vez, é formado pelos indivíduos que digitam o endereço do site da sua empresa no navegador por conta própria. Isso mesmo: eles não precisaram procurar no Google, clicar por meio das redes sociais, e-mail marketing ou de qualquer outra forma. Eles simplesmente digitam o nome do site no navegador, não o encontrando em qualquer tipo de fonte – mas sabendo-o previamente.

O tráfego direto costuma ser formado por indivíduos que já conhecem o site – e que também já o acessam há algum tempo. Isso porque, de tanto acessar, o indivíduo guarda o nome do site e pode digitá-lo diretamente na URL do navegador.

Geralmente o tráfego direto é formado por um público mais assíduo, ou seja, mais fiel à sua empresa. Sabe aquele cliente que já conhece e que sempre compra em sua empresa? Pois é. Ele muito possivelmente digitará o endereço do site já no navegador, sem precisar procurá-lo no Google previamente.

Mas como saber de onde vem o tráfego direto? Simples – por meio do Google Analytics. Além disso, a ferramenta ajudará a descobrir se as visitas foram orgânicas ou diretas (uma vez que esses dois tipos de tráfego são muito similares).

TRÁFEGO DE REFERÊNCIA

Por fim, o tráfego de referência, como seu próprio nome já nos dá a entender, é aquele que ocorre quando há uma espécie de ‘indicação’ em um site para outro site. Com outras palavras, é quando você cria um link/anúncio/banner em um site parceiro e vice-versa.

Vamos para um exemplo de tráfego de referência: imagine que você fechou uma parceria entre a sua loja de suplementos alimentares e uma academia da mesma cidade ou região. A partir de então, alguns links do site da academia passarão a direcionar para o site da sua empresa – e o contrário também acontecerá.

Não à toa, o tráfego de referência é como se fosse uma indicação, como quando alguém lhe diz “olha, pode confiar nele porque eu recomendo”. O tráfego de referência, também conhecido como referencial, pode trazer inúmeras vantagens para o site: tráfego qualificado e de alta qualidade (já que o público-alvo dos parceiros costuma ser similar), melhora no ranqueamento (especialmente orgânico) no Google e, é claro, baixíssimo custo.

Para apostar neste tipo de tráfego, é simples: basta entrar em contato com empresas, sites, lojas virtuais ou blogs que você acha que podem resultar em uma ótima parceria.

Gostou do artigo? Entendeu o que é Tráfego Pago? Entendida qual é a diferença entre os principais tipos de tráfego existentes? Lembre-se que na hora de determinar as estratégias, táticas e ações de marketing digital de sua empresa, elas devem buscar o aumento não só de um, como de todos os tipos de tráfego existentes e destacados anteriormente. Para te ajudar ainda mais, baixe o nosso e-book gratuito ‘O Guia completo dos Links Patrocinados’ e saiba como aumentar as vendas da sua empresa com o tráfego pago!















    André Cintra
    Diana Vasques
    Diana Vasques

    Graduada em Jornalismo e pós graduanda em Marketing Digital, Produção de Conteúdo e Redes Sociais. Paraense morando em Campinas. Apaixonada por redes sociais! :)