É cada vez mais importante que as empresas pensem em maneiras de aumentar a produtividade de seus colaboradores e aliar a autogestão pode ser uma ótima vantagem nesse processo.

Ao criar um ambiente corporativo onde as decisões dos funcionários são levadas em consideração, permite mais autonomia a cada um e dá a liberdade para que a tomada de decisões seja distribuída de maneira mais uniforme, o que garante um fluxo de trabalho mais leve onde o líder organiza os times, estabelece normas e repassa demandas, deixando de lado o estilo da gestão tradicional no qual os colaboradores precisam reportar ao chefe quando uma decisão precisa ser tomada

Continue a leitura para entender mais sobre a autogestão e como ela pode ser aplicada ao seu estilo de liderança. Aproveite a leitura!

O que é autogestão?

O que é autogestão?

O conceito de autogestão consiste na participação democrática dos profissionais e se distancia da gestão tradicional que acaba seguindo padrões engessados onde o gestor delega tarefas e os colaboradores as cumprem, sem dar espaço para que contribuam com novas ideias, prazos de entrega ou qualquer outro tipo de autonomia.

A autogestão estimula que as decisões sejam tomadas em diversos níveis hierárquicos e quebra um paradigma empresarial tradicional onde as tomadas de decisões costumam ser feitas somente com integrantes do alto escalão.

Assim, o modelo de autogestão promove mais autonomia e igualdade à equipe onde, por meio de um consenso, tomam as decisões que melhor auxiliam no funcionamento e gestão da organização, o que impacta diretamente na produtividade de cada colaborador, já que acabam compreendendo melhor a importância do trabalho de cada um, levando a funcionários mais conscientes e responsáveis.

Quais os benefícios da autogestão?

Dando uma nova forma de organizar as relações de trabalho, a autogestão possibilita diversos benefícios no ambiente de trabalho. Confira abaixo alguns deles:

Democratização dos processos de trabalho

Democratização dos processos de trabalho

Os colaboradores possuem mais controle de sua própria rotina, permitindo que cada um organize suas tarefas conforme se sentem mais confortáveis. Trazendo esse exemplo para a forma de trabalho híbrido e home office que ganharam grande força após a pandemia, é necessário contar com ferramentas que tornem esse processo organizado. Em algumas plataformas, como o Monday, por exemplo, é possível criar um calendário de tarefas e categorizá-las por urgência, tornando o fluxo de trabalho mais alinhado com as necessidades da equipe.

Agilidade no processo de tomada de decisão

Em uma gestão tradicional, é comum que as decisões sejam tomadas em uma reunião com os gestores ou pessoas de cargo mais elevado. Porém, no dia a dia podem surgir situações que exijam uma tomada de decisão mais rápida, não é mesmo? Então, imagine que você tenha que esperar para comunicar o problema ao seu líder para que ele possa verificar a situação e só depois ter uma resposta do que fazer. Isso acabaria atrasando não somente o seu trabalho como o da equipe no geral.

Por isso, com a autogestão é possível incentivar que os colaboradores tomem iniciativa e solucionem problemas do dia a dia, deixando os processos internos mais ágeis e dinâmicos. Mas, óbvio, que aqui vale um adendo: se o colaborador não se sente confiável para solucionar um determinado problema, ele pode, e deve, acionar o superior para entender como resolvê-lo. Nesta hipótese que trouxemos como exemplo, estamos abordando um colaborador que tem a expertise para solucionar algo, porém não pode executar essa ação sem a devida aprovação.

Evita o micro gerenciamento

Evita o micro gerenciamento

Com mais funcionários cientes do que deve ser feito, não há necessidade do superior micro gerenciar todas as pessoas e processos da equipe. Assim, através de um bom alinhamento, é possível depositar confiança nos membros do time.

Além disso, podemos destacar outras vantagens:

  • Aproximação entre líderes e liderados;
  • Desenvolve a criatividade;
  • Deixa a empresa mais democrática;
  • Estimula o trabalho em equipe;
  • Uso da tecnologia para utilizar ferramentas que aprimorem a gestão.

Desenvolvimento de metas pessoais

Desenvolvimento de metas pessoais

Com um ambiente mais flexível e confortável, os colaboradores conseguem desenvolver e ampliar suas metas tanto pessoais quanto profissionais na empresa.

Glossário do marketing digital

Mitos sobre a autogestão

Existem alguns mitos relacionados à autogestão profissional. Listamos alguns dos mais comuns que costumam rondar e fazer a cabeça de algumas pessoas. Confira!

Não existem líderes

Ao contrário do que se pensa, no modelo de autogestão existe sim uma liderança estabelecida. Porém, aqui, eles não precisam autorizar decisão que o colaborador quiser dar e não agem como “donos da razão”. Neste modelo de negócio, os líderes atuam na organização dos processos e na distribuição das demandas que aparecem.

Não existem regras

Nesse sistema, todos os colaboradores são informados sobre as regras que devem seguir para assegurar o bom funcionamento do negócio.

Assim, através de uma boa definição do que pode ser feito sem uma consulta prévia dos líderes, os colaboradores ficam cientes de até onde podem ir em determinada situação.

As decisões são lentas

Pelo contrário. Afinal, uma equipe com mais autonomia gera decisões mais ágeis, pois elas possuem a capacidade de solucionar eventuais problemas que apareçam de maneira imediata, sem ter que repassar para que o líder decida o que deve ser feito.

Agora que você aprendeu sobre a autogestão e seus benefícios, que tal colocá-la em prática na sua organização? Migrar de um modelo mais tradicional para um novo formato pode ser um pouco assustador, porém ao implementar a autogestão em seu negócio você irá contribuir para que ela se torne mais atrativa aos seus colaboradores e consiga reter os grandes talentos.

Aproveite para ler nosso outro conteúdo: “Como anda a gestão de pessoas na sua empresa?”.

André Cintra
Giselle Ribeiro
Giselle Ribeiro