As hashtags surgiram como a gíria fomentada para definir um determinado assunto na internet. É algo que existe apenas na internet. Sustenido, jogo da velha... isso foi para o passado. O nome agora é hashtag. Mas qual a sua origem? O que é hashtag? Qual é sua importância? E como usar as hashtags nas redes sociais?

Do inglês, hash significa cerquilha, e tag é o ato de marcar alguma coisa, também traduzido como etiqueta. O símbolo # foi chamado de “número” por um bom tempo, quando sua função era resumida aos aparelhos de telefonia.

Quando falamos em marketing digital ou em estratégia digital, falamos de hashtags (ou simplesmente ‘tags’). A hashtag tem como função identificar e agrupar um determinado conteúdo através de uma palavra-chave. Ela facilita pesquisas que estejam relacionados a um evento, uma notícia ou um produto, por exemplo, sendo um acessório para quem deseja uma pesquisa mais fácil e rápida sobre determinado assunto. Sua origem é desconhecida por muitas pessoas, mas muito simples: surgiu no Twitter. Isso mesmo, a rede social do pássaro azul iniciou as hashtags com o objetivo de agrupar assuntos de uma maneira mais simples e dinâmica.

Mas como usar as hashtags nas redes sociais? Neste artigo, conheça 5 dicas de como usar as hashtags nas redes sociais e por que elas fazem tanto sucesso.

Afinal, como funcionam as hashtags?

Certamente você já as encontrou por aí nas redes sociais mais variadas, mas como exatamente as hashtags funcionam? Fazer uma postagem com essas etiquetas é uma forma de se apresentar para mais pessoas e marcar presença e relevância entre assuntos específicos.

Isso porque ao colocar uma hashtag qualquer no conteúdo em texto da publicação, a rede social cria um hiperlink sobre a palavra, direcionando o visitante para uma timeline exclusiva da tag. A hashtag é, literalmente, uma etiqueta que pode ser aplicada ao conteúdo e ajudar a sua identificação e localização.

No Instagram, por exemplo, já é possível que os usuários sigam hashtags específicas assim como se segue perfis pessoais. O conteúdo relevante postado dentro dessa etiqueta será exibido na linha do tempo inicial e principal. Na mesma rede, além da timeline, é possível usar as hashtags no conteúdo de Stories, o que também fica disponível para quem usa a aba de pesquisa.

No geral, as hashtags já estavam no meio da comunicação digital através das tags solicitadas em gerenciadores de blogs e também de vídeos. Em cima dessa ideia foi adicionado o símbolo # e o hiperlink automático por parte das redes sociais. Estar bem ranqueado (em relevância) nas tags certas é um ponto relevante para uma estratégia de marketing digital para empresas variadas.

Por que você deve utilizar hashtags na sua estratégia de Marketing Digital

As hashtags servem muito bem aos propósitos de empresas, pensando em atração de público e possíveis novas vendas. Elas entram como parte importante do marketing de conteúdo, uma das estratégias de Marketing Digital. Conteúdo é tudo o que é feito para blogs e redes sociais, considerando textos, fotos, vídeos, etc.

Usar as tags nas redes sociais, como você já deve ter entendido, ajuda na divulgação do conteúdo aumentando o seu alcance. Imagine que um pequeno restaurante está apenas começando a investir nas redes sociais para atrair e conquistar clientes. Uma das formas mais práticas, e até econômica, de atualizar os canais de divulgação é subindo fotos originais, bem feitas e editadas, dos pratos do cardápio junto a hashtag.

Isso porque, por exemplo, #burger já bateu 12 milhões publicações, enquanto #pizza passou dos 35 milhões. O número de publicações dentro de uma hashtag é indicador se ela faz sucesso e é procurada, sendo de relevância para a estratégia digital.

Além de ajudar o seu conteúdo a aparecer para mais pessoas, as hashtags podem ser usadas como elementos de promoções e sorteios nas redes, o que ainda gera curiosidade sobre a empresa e atrai mais seguidores. Isso aumenta o engajamento (as interações) com a marca, o que influencia positivamente na visibilidade online da empresa.

Mas alguns cuidados são necessários, considerando as boas práticas e as regras de etiqueta da internet. É preciso ter bom senso para escolher as tags sem exagerar em quantidade ou assuntos. O uso das hashtags, embora democrático, também vai depender da linguagem da empresa e da própria temática da postagem - assuntos muito sérios ou negócios B2B nem sempre terão afinidade.

É muita coisa, mas fique tranquilo! Como prometido, apresentamos neste texto 5 dicas para fazer bom uso das hashtags na estratégia de marketing digital da sua empresa. Confira agora:

#1 #Não #separe #cada #palavra #por #hashtag

A hashtag é lida por nosso cérebro de maneira separada. É instintivo. É como quando lemos uma frase separada por pontos. A leitura se torna chata, complicada e perde conteúdo a ser refratado para um determinado nicho. Por isso, não use hashtags em demasia e não as separe por palavras. Caso use muitas palavras, utilize outra forma de abranger para que um determinado setor seja o atingido, com o intuito de que o público localize. Além do fato da estética e da errada forma de expandir seu conteúdo digital, a separação por palavras coloca preposições (exemplo do ‘por’ no subtítulo), onde alcançará nicho algum e será um desperdício de caracteres importantes, afinal, o Twitter só comporta 140 para uso.

#2 #UseLetraMaiúscula

É sempre recomendável o uso de uma palavra apenas na hashtag. Porém sabemos que às vezes é impossível. Algumas marcas possuem muitas vezes dois nomes e uma só palavra na hashtag se torna improvável. Por isso, pela estética e fácil leitura, utilize letras maiúsculas para especificar cada palavra. Assim, a leitura ficará melhor do que, por exemplo, #useletramaiúscula, onde o leitor terá de ler, no mínimo, duas vezes para diferenciar as palavras em questão e, então, compreender a mensagem, principalmente quando falamos em uso de conectivos (de, da, em e etc). A leitura facilita e a busca não é perdida.

#3 Não escreva muitas palavras juntas, pois fica ilegível

Voltamos ao tópico dois para salientar o que dizer nesse subtítulo. A leitura fica complexa, as palavras se misturam e a estética da escrita fica assustadora. É muito comum as pessoas, muitas vezes, não entenderem o propósito da hashtag. Inclusive, em muitas hashtags a comunicação sofre um “ruído digital”, pois fica completamente ilegível o objetivo da empresa que adota uma determinada frase (#fraseadotadaporumaempresa). A compreensão fica mais complicada, certo? Bom, a mesma frase foi dita de maneiras iguais só que com as palavras coladas. E é essa a dificuldade que seu cliente terá ao ler uma determinada hashtag com letras sem diferenciação de tamanho.

#4 Pesquise a hashtag antes de usar

Veja o que se está sendo falado antes de usar a hashtag em questão. Muitas vezes podem estar sendo utilizadas para assuntos que possam trazer uma imagem ruim para a empresa, e a divulgação, assim, vai por água abaixo. Faça uma pequena pesquisa, sonde e veja a melhor maneira de usar a hashtag em questão, ou outra, se for o caso. Dessa forma, relacione o seu futuro post com os assuntos em alta, caso forem positivos. Afinal, internet é para interagir, não é mesmo?

#5 Use uma hashtag que esteja de acordo com o seu post

Imagine o seguinte tweet: “As melhores laranjas da cidade você encontra no nosso site. #bananas” Não dá, né? Parece um pouco sem senso apresentar isso dessa maneira. Mas a hashtag precisa (ênfase no precisa) ser relacionada ao post. Ela não pode ser relacionada com outro assunto ou com outros posts anteriores. Ela deve estar relacionada ao post em questão. Afinal, quem quer saber de laranjas pesquisa por laranjas, certo? E esse erro é comum. Muitas vezes, alguns posts tentam remeter a algo relacionado à empresa e que foge do assunto do post. Por isso, atente-se a esse caso, o post e a hashtag precisam estar em sintonia.

Quais são as hashtags mais usadas?

No geral, podemos dividir as hashtags em 3 categorias, considerando a originalidade e a relação com o conteúdo. As trending hashtags são aquelas que já existem e se encontram entre as mais populares da rede. Usar alguma dessas tags pode ser o diferencial necessário para que sua postagem apareça para mais pessoas - lembrando a dica para não abusar em quantidade e nem querer se inserir em temas não relacionados.

As hashtags originais são as novidades, que surgem organicamente mas, ao mesmo tempo, são marcadas por muitas pessoas, o que vai acabar dificultando a ideia de que alguém encontre seu conteúdo ali no meio. Também vale a dica suprema de não apelar para tags fora do assunto da empresa.

Já as hashtags de conteúdo são aquelas relacionadas ao seu post, ligando assuntos e ideias similares. Quando o restaurante do exemplo anterior for postar #pizza, outras tags relevantes para a publicação seriam #food, #pizzaria, etc.

No Instagram, onde as hashtags mais se popularizaram depois do Twitter, as hashtags mais usadas são em inglês justamente pela referência mundial. Em primeiro lugar, com mais de 1 bilhão de posts, fica #love. Ela é seguida por #instagood e #photooftheday, ambas relacionadas a fotos originais, criativas e atrativas.

Na mesma ideia, as demais hashtags mais usadas seguem a temática positiva, como #cute, #happy, #friends. Áreas de destaque entre as tags são fitness, beleza e alimentação.

Aprenda a usar hashtags em cada rede social

Como as hashtags funcionam e ajudam na estratégia de divulgação e marketing de uma empresa você já entendeu. Um diferencial ainda não abordado é que as tags tem funções, entre aplicação e leitura, variadas entre cada rede social.

Esse é um ponto para prestar atenção e não se perder na estratégia de conteúdos, considerando que cada rede tem suas especificidades. O LinkedIn, por exemplo, não faz hiperlinks sobre as hashtags e nem mesmo as disponibiliza em aba diferenciada ou pela barra de pesquisa.

Saber como usar as hashtags em cada rede social também é importante para evitar a simples replicação do que foi postado em uma única página. Veja algumas dicas para usar as tags da forma correta.

• Como usar hashtags no Facebook

As hashtags entraram para o repertório do Facebook em 2013, relativamente atrasado se comparado ao Twitter e ao Instagram. Na rede, ao clicar em uma hashtag, o usuário é direcionado a uma outra linha de publicações, todas contendo a etiqueta solicitada. Também é possível encontrar esses posts buscando a hashtag na barra de pesquisas da rede.

Não tem segredo: basta começar uma postagem de texto, foto, vídeo, enquete e outros formatos e acrescentar as tags desejadas na descrição. É provável que essa função só tenha chegado ao Facebook porque a empresa comprou o Instagram em 2012, o que explica também como as duas redes podem funcionar em completa integração - um conteúdo postado no Instagram é rapidamente replicado na rede vizinha.

Seguindo as mesmas dicas citadas anteriormente, usar as hashtags no Facebook possibilita uma maior alcance entre seus seguidores e também curiosos que estarão de olho na página específica da tag. Mas não basta simplesmente publicar ali para cumprir com a estratégia de conteúdo. O material em si, principalmente se for em foto ou vídeo, deve ser relevante e ter qualidade compatível com a sua empresa.

De alguma forma, o conteúdo deve puxar uma conversa com os visitantes para gerar engajamento. Não se esqueça de procurar as hashtags desejadas previamente para ter uma ideia do que as pessoas publicam e procuram naquela palavra-chave.

• Como usar hashtags no Instagram

Esse é o exemplo mais citado. Apesar de não ser a primeira rede que apresentou as hashtags como função de categorização de conteúdos, é no Instagram em que elas se popularizaram e alcançaram números de postagens estratosféricos. Essa condição foi atingida também porque o Instagram é a rede que mais diversificou o uso e o acesso às hashtags.

Além das publicações na timeline com hashtags (atenção porque só são permitidas até 30 por post), o Instagram aceita as etiquetas também no recurso de Stories, o que cria uma série de fotos e vídeos curtos (que só duram por 24 horas) personalizada para quem está interessado em um tema específico. Lembre sempre que a prioridade nessa rede são imagens e vídeos de qualidade.

Outro recurso é que é possível seguir especificamente uma hashtag, como explicado lá atrás. Publicar o conteúdo da empresa com as hashtags certas ajuda a aumentar o engajamento e também conquistar mais seguidores. Mescle isso com as possibilidades do Instagram Shopping e elabore ações promocionais e concursos criativos para maximizar suas oportunidades.

Incluir call to actions (CTAs) no conteúdo também ajuda, encaminhando o usuário a fazer uma ação prevista na estratégia de marketing digital, entre um cadastro, o download de um material, uma compra, etc.

• Como usar hashtags no Twitter

Foi no Twitter que as hashtags surgiram, a partir de um movimento espontâneo dos usuários que foi absorvido pela empresa, e cresceram nos mais variados assuntos: protestos, brincadeiras, promoções, ações de marketing, concursos culturais, etc.

Apesar de a plataforma, com o tempo, disponibilizar fotos, vídeos e transmissões ao vivo com a mesma importância que os tweets (textos de até 280 caracteres), as hashtags têm utilidade apenas como parte das descrições. Elas se popularizaram junto ao box de Trending Topics (TT), os assuntos mais falados na rede em tempo real.

Na estratégia de marketing digital, as hashtags no Twitter também são uma solução disponível em formato de anúncios, em que é possível “patrocinar” uma tag para ficar fixa no TT - o que gera curiosidade e marketing boca a boca. Preste atenção porque essa aba de “Assuntos do momento” mais falados é dividida por regiões, entre global, países e cidades.

Como a rede é muito pontual, é preciso planejar bem quando a empresa irá investir nas hashtags para não coincidir com um grande evento ou notícia.

Um outro cuidado é em relação a presença do público ali. Se a persona do seu planejamento em marketing não estiver presente no Twitter, investir em anúncios e conteúdos ali vai ser ineficaz.

• Como usar hashtags no YouTube

Só em julho de 2018 o YouTube liberou o uso das hashtags em títulos e descrições dos vídeos, disponibilizando a busca por eles na própria barra de pesquisa. As tags também podem ser acessadas por serem um hiperlink automático.

Mesmo antes disso, os usuários que fazem upload de conteúdos na rede já usavam as tags nas descrições dos vídeos para facilitar seu ranqueamento e alcance na página de pesquisa do Google e do próprio YouTube. A plataforma, apesar de ser de vídeos, não dispensa a descrição textual dos conteúdos, já que ela se organiza considerando SEO.

A rede inclusive disponibilizou algumas regras para ajudar os criadores de conteúdo. O YouTube indica para que não se use espaços nas tags (assim como a dica 1 deste texto), não usar tags enganosas em relação ao conteúdo e também não exagerar nas palavras-chave, sob risco de remoção do vídeo ao usar mais de 15 hashtags.

Um diferencial das hashtags nessa rede é que essas etiquetas aparecem, na tela de visualização do vídeo, acima do título. Assim o visitante tem maior facilidade de acessar, através do hiperlink, outros conteúdos similares. Esse pode ser um caminho para que mais pessoas acessem o material da sua empresa - nos quais você deve investir em uma boa produção e edição.

Ferramentas para criar e rastrear hashtags

Todas estratégias de marketing digital precisam ser medidas, colhendo seus resultados e avaliando o que funciona ou não. Para monitorar e mensurar essas métricas, diversas ferramentas e plataformas estão disponíveis para as mais diversas ações usadas no meio digital.

Com as hashtags não é diferente. Já existem aplicativos, sites e ferramentas pagas para monitoramento das tags usadas nas mais diversas redes, mas o Instagram continua como prioridade. Como o sucesso das ações de marketing digital depende dessa análise, não descarte esse passo na estratégia da sua empresa. Conheça algumas ferramentas para isso agora:

• Keyhole

Essa é uma solução online completa para Instagram e Twitter, porém paga depois de um período teste de 7 dias. O site é simples, de onde o usuário pode começar uma pesquisa de monitoramento colocando a hashtag desejada na barra de pesquisas. Ele entrega o número de conteúdos postados na tag, países onde é popular, perfis que compartilham, alcance, etc.

A ideia do Keynote é facilitar o monitoramento de campanhas e de eventos, também entregando dados de pesquisa de consumo. A plataforma também possibilita o monitoramento de perfis nessas redes, interessante para quem trabalha com influenciadores digitais.

• Magnify

É um aplicativo para smartphones com uma versão gratuita e uma profissional. Seu diferencial é o de criar hashtags para o Instagram, fazendo uma combinação de temas relacionados a uma primeira tag sugerida pelo usuário. Nele também é possível agendar as postagens de fotos na rede já com as hashtags mais adequadas ao assunto.

• WebStagram

Neste site gratuito, é possível buscar hashtags e usuários do Instagram para ter uma visão superficial sobre o que é mais popular no Instagram. Ao procurar especificamente a tag, o WebStagram também sugere aquelas relacionadas e mais usadas.

Conclusão

Chegando aqui, com certeza você entendeu a importância das hashtags nas redes sociais e os benefícios de incluí-las na sua estratégia de marketing digital. Só retomando, o “jogo da velha” funciona como uma etiqueta de marcação nas postagens, o que facilita para que um maior público encontre você.

É importante pesquisar as palavras relacionadas ao negócio e levantar o que é mais relevante para o seu conteúdo. E, depois de instalado, seguir monitorando e analisando a eficácia das hashtags. Sempre volte aos seus relatórios e confira o que funcionou e pode ser replicado.

Lembre de não replicar o conteúdo de uma rede para a outra quando as tags não forem relevantes, a exemplo do LinkedIn. E que fotos, textos e vídeos bem feitos são a chave para acertar independentemente das etiquetas.

Agora que você já sabe como usar as hashtags nas redes sociais, aproveite e aprenda como usar as redes sociais com o nosso e-book gratuito "Manual completo das Redes Sociais".

André Cintra
André Cintra
André Cintra

Consultor, professor e palestrante com experiência em marketing digital e vendas. É CEO da Post Digital, agência de marketing digital fundada em 2010. Coordenou mais de 300 projetos personalizados para clientes nas áreas da saúde, educação, tecnologia, varejo e indústria. Ganhou o prêmio de Espada Ninja na Vitrine(Gold) no maior evento de marketing digital da América Latina, em 2019