O maior evento de Marketing Digital da América Latina não passaria em branco sem falar de SEO (Search Engine Optimization) e de videomarketing. Ambos são estratégias que estão acessíveis para empresas e profissionais a partir do marketing de conteúdo, e também com parcerias, co-marketing, programação e desenvolvimento de sites, etc. Nos três dias do evento (6, 7 e 8 de novembro em 2019) diversos palestrantes, profissionais e consultores subiram aos palcos - eram oito, ao todo - do RD Summit para falar sobre otimização para buscadores, utilização dos vídeos, mudanças no consumo de conteúdo e outros temas importantes para o mercado.

Neste artigo, parte da nossa cobertura do RD Summit 2019, destacamos a seguir as palestras que assistimos e o que elas trouxeram em novidades sobre SEO, videomarketing e outras estratégias e conceitos relacionados ao marketing digital.

A transformação digital (e invisível)

No primeiro dia do evento, Vitor Peçanha da Rock Content apresentou para cerca de 5 mil pessoas na Plenária “O Poder do Invisível: a verdadeira transformação digital no marketing é o que o público não vê”. Como um dos fundadores da Rock, empresa referência no marketing de conteúdo, Peçanha falou sobre como o conteúdo e as demais estratégias que trabalhamos hoje devem se adaptar para a transformação digital.

De partida, o contexto é essencial para ter sucesso com seus conteúdos e outras ações. Ele é obtido através da coleta e interpretação de dados. Além do contexto, entender a intenção é importante para ter utilidade e gerar valor com seus conteúdos, para então gerar negócios.

A transformação digital parte da utilização de dados, da segmentação e da customização - coisas que o público não vê. Quem faz marketing deve ser estratégico nesses pontos, e então os canais e formatos utilizados aparecem como consequências naturais.

SEO e o Google BERT

A otimização de conteúdos para os buscadores, com as chamadas técnicas de SEO, não é nenhuma novidade. Aqui mesmo no blog da Post já falamos sobre vários elementos e estratégias que podem (e devem) ser utilizados pensando na exposição das suas páginas e no tráfego orgânico. Se ainda não conhece, confira:

Neste ano, os palestrantes reforçaram como as palavras-chave (keywords) já não são o elemento de maior destaque e importância dentro de uma página, reforçando como o Google (o maior buscador) já considera sinônimos (LSI keywords), contexto, acessibilidade e segurança das páginas, autoridade de domínios e autores, entre outros fatores. Na palestra “Como desenvolver uma estratégia de SEO de sucesso” de Steve Wiideman, consultor especializado em SEO e SEM (Search Engine Marketing), nos deparamos com uma novidade: o BERT.

Recentemente, o Google lançou uma novidade em seu algoritmo para apresentar resultados aos usuários. O BERT foi anunciado como a mudança mais significativa nos últimos 5 anos, mas por ser uma novidade e uma tecnologia em constante teste, rodando inicialmente apenas nos Estados Unidos, ainda não existem técnicas ou estratégias garantidas em SEO para corresponder a ele.

BERT significa Bidirectional Encoder Representations from Transformers. Este termo, difícil de traduzir, é um algoritmo que utiliza machine learning e outras técnicas para entender as pesquisas e as páginas online de forma mais humana, conversacional. Se os robôs faziam a leitura de cada palavra individualmente, expressões mais complexas agora vão apresentar resultados melhor relacionados. Essa mudança também é importante considerando o aumento das buscas por voz.

Não existe ainda uma fórmula para otimizar conteúdo para o BERT, como não existe nada específico para o RankBrain. Sabe-se, a partir dos especialistas que monitoram as mudanças de algoritmo no exterior, que quem já está utilizando as boas práticas de SEO continua bem posicionado. Essa é uma novidade no marketing digital que devemos acompanhar de perto nos próximos meses e anos.

Os vídeos no marketing em dicas do Camilo Coutinho

Um clássico nas edições do RD Summit e também no RD On the Road, Coutinho apresentou “Videomarketing: otimização e dados na criação de uma estratégia que vende” na Plenária. Algumas dicas foram extremamente relevantes para quem utiliza o YouTube em sua estratégia digital.

Por exemplo, 60% das intenções de clique vêm da thumbnail, ou seja, a imagem de capa que aparece nos resultados do buscador. Coutinho destaca que essa imagem deve ser atrativa para seu conteúdo, contendo os olhos de uma pessoa, uma emoção em sua expressão e também despertando curiosidade. Ter contraste e dar uma boa leitura para qualquer texto nessa imagem também ajuda.

Outra dica acompanha a ideia já descrita acima de que é importante conhecer seu público e seus problemas e ambições. Isso vai orientar na definição de uma meta para seu vídeo e na construção do roteiro. Coutinho utiliza o chamado “roteiro chicote”, montado com:

  • O que vou ensinar
  • O que ele faz/Como aplico
  • Quem compra/aprende
  • Quando compro/aprende
  • O seu diferencial
  • Se eu não comprar/aprender

Ele ainda reforçou a importância de otimizar título, descrição e tags dos vídeos. Confira nosso artigo sobre SEO no YouTube para se aprofundar e colocar o videomarketing no ar.

Luciana Gameiro
Luciana Gameiro
Luciana Gameiro

É jornalista e especialista em Comunicação e Marketing Digital. Redatora e analista das estratégias de Inbound. Está no canal da Post e sempre atualizada nos últimos memes.