Ao construir estratégias de marketing digital, sejam elas de conteúdo orgânico ou através de mídia paga, as palavras-chave são de extrema importância. É só com elas que o público desejado - a buyer persona - será atingido com seus textos, publicações ou anúncios. Mas afinal, de nada adianta trabalhar com as palavras-chave se elas não são procuradas no Google e outros buscadores.

No geral, as palavras-chave são aquelas que o usuário joga na barra de pesquisas do buscador para encontrar um produto ou um endereço, resolver uma dúvida, acessar notícias, etc. Elas devem ser relevantes para sua empresa e serviço ou produto, o que vai dar autoridade para seu site e blog sobre o tema.

O problema na estratégia de marketing digital pode começar na escolha de palavras-chave com baixo volume de pesquisa. Entenda o que são e como esse problema pode ser resolvido.

O que são as palavras-chave com baixo volume de pesquisa?

Volume de pesquisa é um valor - em média mensal, geralmente - do número de buscas realizadas com a palavra-chave desejada. Quando lidamos com as palavras-chave com baixo volume de pesquisa, esses são os termos com poucas ou até nenhuma busca. Aqui nos deparamos com um problema: usar essas palavras-chave ou não? Qual é a eficácia de incluí-las na estratégia?

As palavras-chave com alto volume de buscas, as mais procuradas, são eficazes porque é garantido que uma boa quantidade de pessoas procura pelo termo. Negativamente, muitos concorrentes já estarão na página de resultados, o que dificulta o ranqueamento - de nada adianta estar da segunda página para trás - e aumenta o preço dos links patrocinados.

Já os termos com baixo volume de pesquisa podem dar mais espaço para seu conteúdo, com uma menor concorrência e menor valor em lances para os anúncios. Mas até que ponto vale a pena trabalhar com as palavras-chave com baixo volume de pesquisa?

O que fazer com essas palavras-chave?

Avalie bem, através da pesquisa de palavras-chave no Google Ads e outras plataformas, o volume de buscas e a concorrência para as palavras-chave desejadas - sempre as que são relevantes para seu conteúdo e sua empresa. É importante que sua estratégia de conteúdo, pelo menos, inclua palavras-chave short tail e long tail, com uma boa média de buscas mensais. Se precisa de uma referência, considere as palavras-chave com pelo menos 1000 buscas.

Já na estratégia de links patrocinados, o próprio Google Ads indica as palavras-chave com baixo volume de pesquisa como um problema. Quando isso acontece, você pode manter a palavra-chave ativa, o que não vai trazer resultados e nem gastar seus lances enquanto ninguém procurá-la e acessar seu anúncio. Na realidade, o próprio Google deixa esses termos inativos na sua campanha. Você também pode excluir o termo da sua campanha de anúncios ou então pausa-lo, o que deve ser avaliado já que mais a frente a palavra-chave agrega autoridade aos seus links.

Use sempre as palavras-chave relevantes para sua empresa e para seu público, otimizando o alcance dos seus materiais. Faça uma boa segmentação de pesquisas para que os visitantes das páginas de resultados do Google representem oportunidades de negócio reais.

Para lidar melhor com as palavras-chave com baixo volume de pesquisa, contemple uma estratégia de atração e conversão no planejamento de marketing digital. Não deixe de conferir nosso ebook Geração de Leads com Google Adwords para acertar na sua estratégia de marketing digital.

Luciana Gameiro
Luciana Gameiro
Luciana Gameiro

É jornalista e especialista em Comunicação e Marketing Digital. Redatora e analista das estratégias de Inbound. Está no canal da Post e sempre atualizada nos últimos memes.