É fundamental para o sucesso de qualquer projeto online, que haja pessoas interessadas naquilo que você tem a dizer ou vender. O tráfego é exatamente isso: a audiência que o seu site tem. É um dos pilares fundamentais para que você tenha visibilidade e atraia novos clientes, conquiste mais fãs, mais seguidores e mais leitores. Segundo a classificação do Google, existem três formas de tráfego: direto, pago e orgânico. Esse artigo falará o que é Tráfego Pago e mostrar os benefícios dele para os resultados de uma empresa.

A prioridade para se obter resultado positivo em qualquer projeto na web é contar com uma equipe interessada naquele produto ou ideia que você quer comercializar. E basicamente, tráfego nada mais é do que isso mesmo: o público que acessa o seu site. Não à toa, o tráfego é um dos pilares fundamentais para que você tenha visibilidade e atraia novos clientes, conquiste mais fãs, mais seguidores e mais leitores. Mas, afinal, será que você sabe qual é a diferença entre eles?

A seguir neste artigo, você saberá o que é trafego pago, qual sua importância e porque você deve investir no mesmo. Além disso, adiante você também conhecerá qual é a diferença entre o tráfego pago e outros tipos de tráfego. Está preparado (a)? Então vamos lá.

Qual a importância do tráfego para um site?

O tráfego nada mais é do a audiência do seu site, ou então, o fluxo de movimento de visitantes no mesmo. Neste sentido, o tráfego é como os torcedores dos times que disputam uma partida em um estádio de futebol, ou como os fãs do lutador de Muay Thai que vão vê-lo lutar. E neste sentido, sua importância já fica bem explícita: sem tráfego, um site, blog, canal do YouTube não teria nem razões para existir, já que suas ações e estratégias não teriam um público final.

Além disso, um site com bom tráfego tem maiores chances de conversão, público-alvo amplo, maior interatividade e, é claro, chances de vender muito mais. Os usuários, por sua vez, se tornam o tráfego do site ao encontrá-lo no Google, em uma rede social, e-mail marketing ou até mesmo colocando o endereço da empresa diretamente no navegador. Curioso para saber mais? Não se preocupe: no decorrer deste artigo você será apresentado (a) aos principais tipos de tráfegos existentes.

O que é Tráfego Pago?

O Tráfego Pago são anúncios publicitários criados através de plataformas específicas gerando acesso rápido ao seu site, ele também é conhecido como Link Patrocinado. Para ilustrar, pense no Google Adwords. Exemplo: sabe quando você faz uma pesquisa qualquer na internet, os primeiros resultados que aparecem são algumas publicidades que estão em destaque, certo? Pois bem, eles são chamados de Links Patrocinados. Ele não só aparecerão ali, mas também em blogs ou sites que tenham o programa de filiação Adwords do Google.

Esse tipo é ofertado pelas grandes companhias de Internet. Os mais comuns encontrados é o Facebook Ads, o Google Adwords, o Youtube Ads, o Uol Clicks e o Bing Ads. Os locais de exibição desses anúncios podem variar de acordo com cada empresa, bem como o tempo de duração e valores. O CPC (Custo por Clique) será cobrado de você, dentro de um orçamento diário pré-estabelecido antes da campanha, no momento da contratação. Dessa forma, você só será cobrado quando alguém clicar no seu anúncio, daí a importância do uso das palavras-chaves negativas.

O objetivo de fazê-lo é atrair pessoas para ver o conteúdo ou produto que você tem disponível para vender. A diferença do Tráfego Pago para o Tráfego Orgânico é que no pago, você paga pelo clique. Então, qual a vantagem?

Por que investir em Tráfego Pago?

Agora que você aprendeu o que é Tráfego Pago, vamos ver quais os seus benefícios? A vantagem dele é que você selecionará as palavras-chaves relacionadas àquilo que você deseja comunicar e o seu site poderá aparecer nas primeiras posições do Google com mais facilidade do que com o tráfego orgânico, aumentando sua visibilidade e ampliando a sua Taxa de Conversão. Assim, você será visto de maneira ampla, gerando volume de tráfego no seu site e conquistando sua reputação online. O interessante do Tráfego Pago é a intensidade com que ele irá se divulgar e na forma como você poderá personalizar o seu anúncio, chegando a quem realmente está interessado naquela informação, aumentando o potencial da sua marca.

A configuração da sua campanha paga é de fácil manuseio, até mesmo para quem não tem muita experiência com ele. Você poderá trabalhar com uma gama elevada de palavras em menor tempo, do que se tivesse escolhido otimizá-las para a busca orgânica. Consegue também escolher qual das páginas seu potencial cliente irá acessar ao visitar o site (landing pages). Ao aplicar de forma certa a estratégia, você terá variedade de páginas que tem como objetivo principal o relacionamento e a conversão de leads. Por fim, é uma ótima ferramenta do Marketing Digital, já que irá gerar grande quantidade de clientes para a sua empresa, fortalecendo a sua marca e fazendo com que ela fique exposta em todos os resultados pré-determinados por você, tornando-se assim, relevante na memória do seu possível cliente.

Qual a diferença entre tráfego pago e outros tipos de tráfego

A seguir, confira quais são os tipos de tráfego e suas diferenças em relação ao tráfego pago:

Tráfego Orgânico

O tráfego orgânico é exatamente o contrário do tráfego pago. Também conhecido como tráfego livre, ele não é pago – mas isso não significa que não seja preciso investir no mesmo.

Vamos para um exemplo. Imagine que o usuário digitou no Google alguma palavra-chave atrelada ao seu negócio, o que fez com que ele aparecesse entre os primeiros resultados e fosse clicado. Neste caso, o tráfego que levou ao site foi orgânico, ou seja, gratuito e livre.

Vários são os aspectos que influenciam no tráfego orgânico da empresa: as imagens utilizadas no site, títulos, textos e o próprio endereço. Não à toa, é preciso investir em boas estratégias de SEO (como palavras-chave e bom ranqueamento no Google) e de marketing de conteúdo para que a empresa realmente obtenha resultados positivos com tráfego orgânico.

A maior vantagem do tráfego orgânico é que, além de não ser pago, permite que o indivíduo lhe encontre por vontade própria – ou seja, porque quer saber mais sobre a empresa ou principalmente sobre os produtos e serviços oferecidos pela mesma.

O tráfego orgânico e o tráfego pago geralmente se complementam nas estratégias de marketing digital das empresas.

Tráfego Qualificado

Para compreender o que é tráfego qualificado, primeiramente vamos ao conceito de tráfego simples. O tráfego simples é aquele gerado por indivíduos em geral que acessam a loja virtual/site/blog/outro disponibilizado na internet. Já o tráfego qualificado é bem parecido: com a diferença de que as pessoas que lhe visitam são grandes potenciais, ou seja, indivíduos com grandes chances de se tornarem consumidores.

Neste sentido, vamos para um exemplo. Imagine que você tem uma loja de suplementos alimentares. Será mais fácil chamar a atenção do público que faz musculação ou outras atividades físicas, ou aqueles que ainda não começaram? O primeiro, com certeza. É quando esse público chega ao seu site que você pode chamá-lo de tráfego qualificado.

O tráfego qualificado é então aquele gerado por indivíduos que chegam até a sua empresa sabendo que ela pode lhe oferecer uma solução para os seus problemas (principalmente por meio da oferta de produtos e serviços). Não à toa, ele é um trafego concentrado no público-alvo da empresa.

Presença em várias redes sociais, produção de conteúdo de qualidade, aposta em estratégias de SEO, busca por interatividade, utilização de guest posts, estratégias de remarketing e utilização de tráfego pago podem ser boas dicas para geração de tráfego qualificado.

Tráfego Social

O tráfego social nada mais é do que aquele conquistado pelos usuários das redes sociais – tais como o Facebook, Instagram, YouTube, Twitter, Pinterest, Linkedin e outras. Sendo assim, toda vez que você conquista um cliente por meio das redes sociais, levando-o para o seu ambiente digital, isso significa que ele é um formador do tráfego social do seu site/blog ou loja virtual.

Você sabia que existem mais de 2,5 bilhões de usuários em todo o mundo estão ativos nas redes sociais? Pois é. Não à toa, o tráfego social pode ser uma estratégia viável e com altíssima taxa de conversão para empresas de todos os portes e segmentos do mercado.

Para aumentar o tráfego social as dicas são: utilização de imagens nos posts, criação de conteúdo voltado ao público-alvo, mensuração de resultados nas redes sociais e realização de posts com menos frequência e mais qualidade.

Tráfego Direto

O tráfego direto, por sua vez, é formado pelos indivíduos que digitaram o endereço do site da sua empresa no navegador por conta própria. Isso mesmo: eles não precisaram procurar no Google, clicar por meio das redes sociais, e-mail marketing ou de qualquer outra forma. Eles simplesmente digitaram o nome do site no navegador, não o encontrando em qualquer tipo de fonte – mas sabendo-o previamente.

O tráfego direto, não à toa, costuma ser formado por indivíduos que já conhecem o site – e que também já o acessam há algum tempo. Isso porque, de tanto acessar, o indivíduo guarda o nome do site e pode digitá-lo diretamente na URL do navegador.

Geralmente o tráfego direto é formado por um público mais assíduo, ou seja, mais fiel da sua empresa. Sabe aquele cliente que já conhece e que sempre compra em sua empresa? Pois é: ele muito possivelmente digitará o endereço do site já no navegador, sem precisar procurá-lo no Google previamente.

Mas como saber de onde vem o tráfego direto? Simples – por meio do Google Analytics. Além disso, a ferramenta ajudará a descobrir se as visitas foram orgânicas ou diretas (uma vez que esses dois tipos de tráfego são muito similares).

Trafego de Referência

Por fim, o tráfego de referência. Como seu próprio nome já nos dá a entender, o tráfego de referência é aquele que ocorre quando há uma espécie de ‘indicação’ em um site para outro site. Com outras palavras, é quando você cria um link/anúncio/banner para um site parceiro e vice-versa.

Vamos para um exemplo de tráfego de referência. Imagine que você fechou uma parceria entre a sua loja de suplementos alimentares e uma academia da mesma cidade ou região. A partir de então, alguns links do site da academia passarão a direcionar para o site da sua empresa – e o contrário também acontecerá.

Não à toa, o tráfego de referência é como se fosse uma indicação, como quando alguém lhe diz “olha, pode confiar nele porque eu recomendo”. O tráfego de referência, também conhecido como referencial, pode trazer inúmeras vantagens para o site: tráfego qualificado e de alta qualidade (já que o público-alvo dos parceiros costuma ser similar), melhora no ranqueamento (especialmente orgânico) no Google e, é claro, baixíssimo custo.

Para apostar neste tipo de tráfego é simples: basta entrar em contato com empresas, sites, lojas virtuais ou blogs que você acha que podem resultar em uma ótima parceria.

Gostou do artigo? Entendeu o que é Tráfego Pago? Entendida qual é a diferença entre os principais tipos de tráfego existentes? Lembre-se que na hora de determinar as estratégias, táticas e ações de marketing digital de sua empresa, elas devem buscar o aumento não só de um, como de todos os tipos de tráfego existentes e destacados anteriormente. Para te ajudar ainda mais, baixe o nosso e-book gratuito 'O Guia completo dos Links Patrocinados' e saiba como aumentar as vendas da sua empresa com o tráfego pago!

André Cintra
André Cintra
André Cintra

Paulistano e CEO da Post Digital, empresa que fundou no inicio de 2010, com a idéia principal de desenvolver projetos digitais estratégicos e focados em resultado (conversões). Trabalha profissionalmente com internet desde a época da bolha, já desenvolveu mais de 300 projetos sob medida, é certificado Google para rede de pesquisa, rede de display e analytics e é especialista em SEO.