É inegável que vivemos em meio a era digital. Uma forte mudança nesse novo momento foi na forma de consumir, seja a informação, conteúdos e entretenimento ou produtos e serviços.

Sendo o marketing, na definição de Philip Kotler, “a arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um mercado-alvo com lucro”, com a mudança de comportamento do consumidor ele também precisou se atualizar.

Assim, hoje em dia somos atingidos pelo marketing digital. Estudiosos e profissionais da área como o próprio Kotler se referem a esse fenômeno como Marketing 4.0.

Entenda o que é esse conceito e como ele pode ser aplicado, a partir das ideias apresentadas no livro Marketing 4.0: Do tradicional ao digital, de Kotler, Kartajaya e Setiawan.

Como chegamos ao Marketing 4.0?

O marketing tradicional reinou no início da publicidade. O chamado marketing 1.0 era voltado aos produtos. Ou seja, os clientes deviam se adaptar ao que era oferecido pelo mercado. Eram poucos os esforços para atender efetivamente às necessidades do consumidor.

No momento 2.0, as empresas começaram a se preocupar com os consumidores. Isso foi reflexo do aumento da concorrência, já que o cliente teria a opção de escolher o melhor produto ou serviço.

Bem mais recente, o marketing 3.0 estava focado nos valores. Segundo Kotler, ele se baseava em três pilares: colaboração, cultura e espiritualidade. Nesse momento o digital já era uma realidade.

E assim chegamos a fase 4.0: combinação e integração de digital e offline, inclusivo e horizontal, entre outras características.

Conheça-as agora.

Características do Marketing 4.0

No livro, Kotler e cia definiram uma série de características recorrentes desse momento. São elas:

• Consumidor com menos tempo e mais distrações (on e offline);
• Influenciadores digitais: jovens, mulheres e netizens;
• Uso do humor e da emoção;
• Criação de momentos WOW;
• Oferta de experiências;
• Integração marca e consumidor;
• Análise de dados e métricas específicas;
• Uso de aplicativos mobile;
• Gamificação.

Os autores também dedicaram parte da obra para descrever duas especificidades do marketing digital: os 4 Cs e os 5 As.

Os 4 Cs

Todos os momentos de desenvolvimento do marketing são marcados pelo mix de marketing, ou 4 Ps: Produto, Preço, Praça e Promoção. Os 4 Cs surgiram como uma atualização desse formato, mais tradicional.

São eles: Cliente, Custo, Conveniência e Comunicação. Trabalhar o planejamento estratégico de marketing em cima desses 4 conceitos passa pelo entendimento de que o foco da empresa não é o seu próprio produto, mas sim o que ela pode solucionar para o público.

Os 5 As

Esses termos se referem ao processo de compra, a jornada do consumidor, atualmente. Se referem às etapas de relacionamento com a marca, sendo: Atenção, Apelo, Aconselhamento (ou arguição), Ação e Advocacia (ou apologia).

Inicialmente, a marca é conhecida pelo consumidor (tem sua atenção), e quando ocorrer um apelo certo, esse possível cliente percebe valor na marca. Na etapa de aconselhamento, ele procura opiniões e referências de outros consumidores.

Então a ação de compra é tomada. Na etapa de advocacia, o cliente é um defensor e divulgador da marca. Essa nova jornada de compra só pode se fortalecer no ambiente digital, em que qualquer pessoa pode promover - ou depreciar - uma empresa.

Os 5 As norteiam o trabalho de Inbound Marketing, que se inicia pela atração. Para conhecer mais dessa estratégia, baixe nosso ebook Inbound Marketing: uma Introdução.

André Cintra
André Cintra
André Cintra

Consultor, professor e palestrante com experiência em marketing digital e vendas. É CEO da Post Digital, agência de marketing digital fundada em 2010. Coordenou mais de 300 projetos personalizados para clientes nas áreas da saúde, educação, tecnologia, varejo e indústria. Ganhou o prêmio de Espada Ninja na Vitrine(Gold) no maior evento de marketing digital da América Latina, em 2019