Já abordamos aqui no blog sobre o marketing inclusivo e a importância da diversidade, tema abordado no RD Summit 2018. No CASE 2018 o assunto voltou ao foco, porém mais alinhado a cultura das startups com seus processos de recrutamento e formas de comunicação.

A Diversidade e Inclusão, resumida simplesmente por DI, foi muito abordada nos encontros que falavam sobre Customer Experience e cultura das empresas, e também foi tratado por profissionais diversos que trouxeram novos olhares sobre a necessidade de contratar e comunicar com diversidade.

Para resumir bem o que são estes dois conceitos, uma frase da empreendedora Viviane Moreira, consultora da EmpregueAfro, foi destacada em palestra:

Diversidade é quando convidam você para um baile. Inclusão é quando tiram você para dançar.

Continue lendo para conhecer o que alguns dos palestrantes do CASE 2018 falaram sobre o tema.

Por que contratar com Diversidade?

No painel “Diversifique: Como trazer inclusão para o DNA do seu negócio”, os empreendedores Juliana Glasser (Carambola), Rangel Vilas Boas (Sonder) e Fernanda Leoncio (Conta Black) - sendo representantes da população negra e LGBT+ - falaram um pouco sobre o comprometimento necessário por parte das empresas para realmente trabalhar com diversidade.

Os três profissionais concordaram que, além de querer contratar pessoas diversas, as empresas precisam mudar de pensamento e promover também a educação e aprimoramentos para tais profissionais. Para ter inclusão no quadro de funcionários, é preciso reconhecer que nem todas pessoas tem o mesmo background e oportunidades.

Indiretamente, outro profissional que falou sobre diversidade e inclusão foi Robert Lamb da Salesforce. Ao falar um pouco sobre Employee Experience e a cultura da empresa, Lamb incluiu a importância de contratar pessoas diversas, porém alinhadas ao posicionamento companhia, de forma que a própria diversidade deve estar entre as políticas.

Isso porque pessoas com diferentes experiências, visões e conhecimentos só agregam ao ambiente de trabalho, encaminhando a empresa para estar cada vez mais alinhada às demandas dos consumidores, lembrando que o cliente e a experiência oferecida são mais importantes do que nunca .

Em comum, todos esses palestrantes citaram como é interessante, em empresas maiores, criar um comitê próprio para diversidade e inclusão.

Diversidade e Inclusão para o Marketing

Uma das palestras específicas sobre diversidade foi apresentada por Dilma Campos, empreendedora com a agência Outra Praia. Dilma apresentou a diversidade como a nova moeda do mercado, reforçando que toda a cadeia produtiva e todo o mercado é composto por pessoas.

Na linha de pensamento da representatividade na produção de experiências e nas publicidades, Dilma destacou o dado de que em 2017, estima-se que a população negra no Brasil movimentou mais de 1,6 trilhão de reais.

Dilma citou como a comunicação deve dar exemplos de inclusão, com protagonismo e respeito a diversas raças, etnias, gêneros e afins. Como toda a cadeia de produção e consumo é permeada por pessoas, é preciso fazer a conexão destas com o olhar sobre o todo. Hoje em dia, focando na representatividade, paira o pensamento de que “se não me vejo não compro” - apresentado também por Viviane Moreira no RD Summit 2018.

O “viés inconsciente” de cada um é o que, muitas vezes, impede que empresas não se abram para a diversidade. Ele é uma espécie de caixa de pré-conceitos que já temos interiorizados, de forma que muitos comunicadores repetem padrões em seu trabalho sem nem notar o problema (a falta de diversidade). Dilma indicou ainda que o primeiro passo para mudar é simplesmente admitir isto e reconhecer um problema de educação sobre esses temas.

Qual é o caminho para fazer marketing com DI? Realmente dar protagonismo e respeito a todas as pessoas, incluindo suas narrativas e experiências de vida na comunicação. Muitas marcas já estão se posicionando através de manifestos, de uma cultura forte e de peças publicitárias em mídias diversas.

Um dos formatos de mídia mais usados para isso são os vídeos. Aproveite para ver também como os vídeos foram destacados durante o CASE 2018.

André Cintra
André Cintra
André Cintra

Paulistano e CEO da Post Digital, empresa que fundou no inicio de 2010, com a idéia principal de desenvolver projetos digitais estratégicos e focados em resultado (conversões). Trabalha profissionalmente com internet desde a época da bolha, já desenvolveu mais de 300 projetos sob medida, é certificado Google para rede de pesquisa, rede de display e analytics e é especialista em SEO.