O aumento exponencial das buscas por voz, seja utilizando o Google, os smartphones Apple ou os assistentes como a Alexa, da Amazon, também teve destaque nos dias de evento do RD Summit 2019. Destacaram-se as palestras de Edney Souza, ou Interney, e de Maryna Hradovich (SEMRush), reforçando as mensagens de que estamos em uma nova era e que a voz é uma revolução no marketing digital.

Um dado interessante apresentado pelo Interney, que é professor e consultor especialista em marketing digital e novas tecnologias, é de que 34% dos brasileiros já utilizam os comandos de voz com os smartphones e outros dispositivos. Nos Estados Unidos, em que o mercado já está mais habituado e os produtos estão mais acessíveis, 30% das residências já contam com um assistente de voz.

Alinhado ao que foi falado sobre audio marketing, a voz é a comunicação mais natural que conhecemos, além de estar presente em momentos em que o texto, imagens e links não estão acessíveis. Neste artigo, resumimos o que Interney e Maryna falaram sobre a busca por voz e todo o trabalho necessário para quem trabalha com Marketing Digital em pesquisa, adaptação e otimização para esse cenário.

A Era da Voz, por Interney

A popularidade da busca por voz pode ser explicada, segundo o profissional, porque ela é mais simples e também acessível e inclusiva. Um termo que surgiu nessa palestra ainda no primeiro dia do RD Summit 2019 foi o “marketing conversacional”. Para conquistar clientes, é importante conversar com eles e conhecê-los a fundo, pelo menos em necessidades e problemas. O conteúdo, nesse cenário, deve ser oferecido como um serviço.

Para as buscas por voz, Interney destaca a importância de trabalhar os sinônimos das palavras-chave mais do que a repetição dos termos, além da qualidade prevalecendo sobre a quantidade de páginas. A métrica alvo é a de compartilhamentos, que aumentam sua exposição, e nunca a de likes, que já estão em declínio.

As pessoas - ou seus consumidores, como preferir - já vivem a era da voz. Cabe às empresas se adaptarem para entrar na jogada.

Voice Revolution, por Maryna Hradovich (SEMrush)

Maryna foi uma das palestrantes internacionais do RD Summit neste ano. Ela subiu no palco da Tenda 2 na sexta-feira com a apresentação “The Voice Revolution: Are You Ready?”. Além de reforçar mais dados sobre como as buscas - e até as compras! - por voz estão aumentando no mundo, a vice-presidente de Growth e de Desenvolvimento do SEMrush demonstrou alguns testes que ela fez utilizando os assistentes Google Home e Alexa para então destacar quais pontos são importantes para destacar um conteúdo para os resultados de buscas por voz.

Maryna destacou que nesse tipo de pesquisa em assistentes “the winner takes it all”. Isso porque se é feita uma pesquisa por voz, é entregue apenas um resultado em áudio. Esse destaque, então, deve ser o maior objetivo das empresas que querem se destacar entre o público-alvo. Para se encontrar dentro da revolução da voz, Maryna apontou 4 passos para quem produz conteúdo:

  • Apareça! - Esse ponto se refere principalmente a quem ainda não focou em estratégias de SEM ou SEO. Aparecer é expor mais seus conteúdos, investindo também no compartilhamento social. A autoridade e a influência dos autores também conta, considerando o fator de ranqueamento EAT que já foi bastante destacado no último ano. Outro ponto aqui é que as buscas por voz demonstram local intent, ou seja, interesse por soluções próximas do usuário. Atualizar o Google Meu Negócio ajuda as empresas a aparecerem no mapa e no radar desses possíveis clientes.
  • Otimize para a posição zero - Os snippets de parágrafo e de listas devem ser o objetivo das suas otimizações de conteúdo. Maryna apontou como 60% dos áudios entregues nas pesquisas por voz são snippets que aparecem na SERP, por isso é importante buscar por essa posição zero nas palavras-chave desejadas.
  • Mude sua voz - Com o novo algoritmo Google BERT (Bidirectional Encoder Representations from Transformers), as buscas por voz vão passar a priorizar as respostas que estejam alinhadas a uma linguagem mais natural. O conteúdo em texto deve ser simplificado e construído em formato mais conversacional.
  • Interaja com os clientes - Nesse último ponto, Maryna destacou que responder a postagens sociais e complementar os perfis da empresa em diferentes redes ajuda na exposição da marca e em seu alcance. Um bom relacionamento com os clientes também atrai mais consumidores e vai nivelando a exposição do seu site.

Para os dois palestrantes, a voz já está aqui. O que importa agora é saber se as empresas irão se planejar e reagir enquanto ainda há tempo ou deixarão o formato crescer e tomar novas proporções em concorrência e dificuldade para então começar algum esforço. Então, bora começar a considerar as buscas por voz nas estratégias digitais?

Luciana Gameiro
Luciana Gameiro
Luciana Gameiro

É jornalista e especialista em Comunicação e Marketing Digital. Redatora e analista das estratégias de Inbound. Está no canal da Post e sempre atualizada nos últimos memes.