Cada vez mais os gestores, independente do ramo e/ou porte da empresa em que atuam, se dão conta que uma estratégia de marketing eficiente deve considerar também o marketing digital.

Já tivemos a oportunidade de abordar em outro artigo o que é SEO e como ele funciona. Só para relembrar, o SEO é o aprimoramento de uma página na internet - ou de um site inteiro - para que estes tenham uma maior compreensão por meio dos mecanismos de busca. Ao usá-lo, o posicionamento de um site em um resultado de busca tende a ser muito melhor. Por outro lado, esta técnica não garante que determinado site permaneça na primeira ou qualquer outra posição nos sites de busca.

Por isso, é de fundamental importância investir tempo e dinheiro para conhecer e, principalmente, otimizar ao máximo as palavras-chaves relacionadas ao seu negócio dentro de sua estratégia de SEO. Quando exploradas em todo seu potencial e da forma correta, elas podem trazer grande benefícios para o seu negócio, já que a segmentação é extremamente precisa, tornando a conversão mais propensa a ocorrer. Se você ainda tem alguma dúvida sobre SEO, baixe o nosso ebook gratuito 'Manual de SEO'.

Quando o usuário realiza uma pesquisa que contenha palavras-chave relacionadas ao conteúdo de seu site, ele automaticamente aparece ao usuário, aumentando as chances de cliques. No entanto, ao lidar com SEO inúmeros fatores devem ser levados em conta, a começar pela definição das palavras-chave que utilizará.

As palavras-chave podem ser agrupadas em três tipos:

Head tail

A lógica nos diz como definir as melhores palavras-chave levando em conta àquelas que são mais buscadas ou são mais genéricas, certo? Errado. Assim como ocorre no mercado, quando um produto ou serviço tem muita procura/saída sua oferta também se expande, o que aumenta o nível de concorrência. Palavras muito procuradas significam que o conteúdo de sua página estará concorrendo com uma enorme quantidade de outras páginas, e isso pode representar em uma menor possibilidade de ranquear o seu site em uma boa posição.

Termos mais genéricos são conhecidos como palavras-chave head tail ,onde ela é formada por apenas uma palavra, mas em contrapartida, possue um volume maior de buscas. Por serem muito genéricas, nem sempre os resultados apresentados representam o interesse do usuário. Para ilustrar, vamos dar um exemplo: um usuário que realiza uma pesquisa por "marketing digital" pode estar pesquisando qualquer informação relacionada ao tema, desde "cursos de marketing digital" até "agência de marketing digital".

Short Tail

Tomando por base a semântica do inglês, short significa curto. Logo, shot tail são palavras-chave curtas, definido por especialistas como junção de no máximo três palavras. Um bom exemplo seria "agência de marketing digital".

Long Tail

São palavras-chave mais específicas, que têm volume menor, mas que aumentarão as chances de que o pesquisador encontre exatamente o que ele estava procurando inicialmente. Podem ser derivações das head tail, como agência de marketing digital em sp ou “cursos de marketing digital em sp”.

Para termos uma boa dimensão das implicações do uso de long e short tail, vamos pensar em um plano cartesiano com eixo x e y. Neste contexto, quando mais se afasta da intersecção e se avança no eixo x, mais genérico a busca se torna o que implica que quando mais se avança no eixo y, maior o número de resultados. Logo, a long tail estará mais próxima da intersecção, do que a short e a head tail.

Pelo modelo de classificação de palavras-chave acima, podemos deduzir que não existe uma opção que seja melhor que outra. A escolha entre qual modelo adotar irá depender do objetivo da estratégia digital.

Assim, as head tail são indicadas para conteúdos que visem o posicionamento da marca a branding a longo prazo, pois tanto a concorrência quanto a busca com/por palavras-chave será maior. O posicionamento de marca e branding também é o principal fim do emprego das short tails, mas esse branding e posicionamento deve ser a curto prazo, pois mesmos que haja maior concorrência e maior busca, ainda há taxa de conversão, mesmo que baixa.

Já as long tails apresentam menor concorrência, menor número de busca e maior taxa de conversão, e sendo assim devem ser empregadas quando o objetivo for a venda de um produto ou serviço.

É preciso atentar também para o uso excessivo de palavras-chave em determinado conteúdo, pois seu excesso pode culminar em um fenômeno conhecido como blackhat. O blackhat é um conjunto de técnicas que visa achar brechas e conseguir manipular as principais variáveis no ranqueamento de sites em mecanismos de busca. Quando detectado, o site pode ser punido pelo Google.

Heading tags

O uso de palavras-chave nas heading tags também é de fundamental importância em SEO. A função do intertítulo e dividir o texto em blocos, e isso na web é primordial, pois assim o usuário pode ir direto ao ponto do texto que lhe interessa, sem perda de tempo. E é justamente por este motivo que as palavras-chave em intertítulos são relevantes, pois invés do texto ser considerado como um todo, ele é tomado em sua dimensão plural, como um amontoado coerente de informações diversas. Ou seja, a divisão dos textos por meio de intertítulos permite que ele seja explorado ao máximo, otimizando tempo, trabalho e dinheiro.

Como definir palavras-chave

Existem diversas plataformas que auxiliam muito na hora de fazer pesquisas de palavras. Elas trazem o volume de busca, relevância da palavra-chave, variações e até mesmo quais os concorrentes que estão rankeando para aquele termo também. As principais são:

Ferramenta de palavras-chave Adwords

Conhecida como Google External Keywords Tools, esta ferramenta aponta estimativas sobre o volume mensal da pesquisa de termos. Uma simples mudança na grafia como a flexão da palavra para o plural ou mudança de tempo/modo em caso de verbos, podem trazer significativos resultados. Por isso essa ferramenta é tão importante no cenário do SEO.

Google Trends

Na grande maioria dos casos, esta ferramenta é utilizada de maneira complementar a anterior, já que apresenta as tendências de busca realizadas por usuários. O grande diferencial desta ferramenta é que além de contar com variáveis como período de tempo e região geográfica, ainda é possível obter informações de busca nos diferentes produtos da Google (youtube, google imagens, google notícias, etc.).

Ubersuggest

Diferente das ferramentas acima, a Ubersuggest enfoca as sugestões de palavras-chave apresentadas pelo Google quando o usuário começa a digitar o termo no campo de busca. Assim, é possível prever todos os possíveis cenários de busca, tornando ainda mais eficaz a estratégia de SEO.

Agora que você aprendeu um pouco mais sobre os segredos de como definir as melhores palavras-chave, já está pronto para aplicar essas estratégias em seu site? Teste nossas dicas e compartilhe conosco suas dúvidas e experiências sobre o assunto!

André Cintra
André Cintra
André Cintra

Consultor, professor e palestrante com experiência em marketing digital e vendas. É CEO da Post Digital, agência de marketing digital fundada em 2010. Coordenou mais de 300 projetos personalizados para clientes nas áreas da saúde, educação, tecnologia, varejo e indústria. Ganhou o prêmio de Espada Ninja na Vitrine(Gold) no maior evento de marketing digital da América Latina, em 2019